segunda-feira, 27 de julho de 2015

Crítica: "LE CHAMBRE BLEUE" (2014) - ★★


Le Chambre Bleue, o mais novo filme do ator francês Mathieu Amalric, que muito ultimamente tem se aventurado na direção, não chegou aqui no circuito nacional e provavelmente não chegará, já que até na França foi lançado bem timidamente, e o que dirá aqui em nosso país. Exibido no Festival de Cannes ano passado, na seção Un Certain Regard, este drama, que mais tem cara de noir, poderia ser bem melhor. Enfim, o grande erro deste longa é que ele compra aquilo que não pode pagar. Le Chambre Bleue (O Quarto Azul) começa enganando, apresentando alguns elementos que já começam a dar nó na cabeça do espectador, que no fim vai começando a compreendê-los de perto. Mesmo assim, com todo o cuidado que Amalric vai costurando a história, de trás pra frente, de uma maneira bem perspicaz e inventiva, alguns elementos escapam e ficam perdidos, sem resposta. Como eu disse: Le Chambre Bleue tem cara de noir. No fundo, até que é. Mas o final é muito pequeno comparado às expectativas em torno dele.

Baseado no romance de Georges Simenon, cujo mais futuramente procurarei, o filme acaba caindo na destreza e, mesmo que cegamente, desrespeita o público de maneira severa, arriscando passos e errando feio na jogada. Le Chambre Bleue, de tão resumido que é, acaba virando um filme pequeno demais para aquilo que propõe, e isso acaba influenciando um pouco em seu fracasso. No fim, é um filme confuso, por que não entendemos direito a sua proposta. Até parece que o próprio roteiro tenta encobertar o crime, que bem no finzinho vem à tona, e mesmo assim nem causa tanto impacto. 

O filme, que dura menos de 70 minutos, é rápido demais, em minha opinião. Digo, rápido demais a ponto de fazer o espectador perder a noção do espaço, uma vez que os flashbacks se misturam muito rispidamente aos depoimentos enigmáticos do protagonista. Um dramalhão girado em torno da jornada de dois amantes, que acabam se separando no decorrer de um evento, e acabam se reencontrando quando esse evento gera um crime abominável, Le Chambre Bleue conta com a belíssima fotografia Christophe Beaucarne, a salvação desta perdição, e com um elenco comportado, mas ainda sim demais introvertido pro meu gosto. Esperava mais de Amalric, tanto na direção, quanto na adaptação e atuação. A trilha sonora de Grégoire Hetzel também tem seu momento de glória em Le Chambre Bleue.

Le Chambre Bleue
dir. Mathieu Amalric - ★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário