quinta-feira, 1 de junho de 2017

A GAROTA DESCONHECIDA (2016)


Novo filme da dupla de cineastas belgas Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, aclamados pelo estilo autoral e neo-realista que traz uma abordagem seca dos problemas sociais da Europa contemporânea. Quanto ao anterior dos cineastas, o pungente e magnífico Dois Dias, Uma Noite, trazia Marion Cotillard na pele de uma mulher sofrendo de depressão e à beira de perder um emprego. Neste caso, não temos Cotillard, mas sim Adèle Haenel como uma médica abalada pela morte de uma mulher perto do seu consultório e que decide ir atrás e investigar o que de fato aconteceu. 

Não mais excepcional que o de 2014, este novo trabalho da dupla remete ao gênero do suspense, que já fora trabalhado de forma bastante satisfatória em O Silêncio de Lorna, filme ao qual este aqui é bastante semelhante em muitos sentidos, seja na criação de uma personagem feminina forte dividida entre situações intrigantes e incisivas, ou no roteiro inteligente, que elabora momentos de tensão e de mistério com uma sutiliza fantástica, e ao mesmo tempo inconvencional e envolta em um manto de complexidade.

E se este filme é o primeiro em muitos anos a ser menosprezado pela crítica especializada que outrora tinha tanto apreço imensurável pelos propósitos fílmicos da dupla, vale mencionar que tal desprezo nem tanto justifica-se, é certo que este é um filme menor da carreira dos Dardenne, mas que possui valor e importância, e merece ser reconhecido desta forma. Se o suspense deixa a desejar em alguns momentos em que, há de se reconhecer, há uma clara falha na tentativa de reproduzir uma pretensão quanto ao clímax. 

Os Dardenne estão em plena forma, fazendo filmes no mesmo modus operandi, com a mesma assinatura, a câmera trêmula, os diálogos intensos, ausência de trilha sonora, personagens complexos e uma trama absurda, difícil. Uma mistura de filme policial com denúncia social, em algum lugar entre um drama à la Grey's Anatomy e um thriller tradicional.

A Garota Desconhecida (La Fille Inconnue)
dir. Jean-Pierre Dardenne & Luc Dardenne
★★★

Nenhum comentário:

Postar um comentário