sábado, 13 de fevereiro de 2016

Crítica: "PASSAGEIROS" (2008) - ●


Vi o filme pela primeira vez faz uns cinco anos. Foi em 2011, no auge da minha fase de devoção à atriz Anne Hathaway. Comprei o DVD e até tentei achá-lo para rever recentemente, mas creio que o perdi. De qualquer maneira, o filme estava na Netflix e faz uma semana e pouco peguei-o para ver. Não me lembro direito da minha primeira impressão quando vi o filme lá em 2011, já que só tinha pegado ele por conta da Hathaway e tal, então nem estava ligando se o filme seria ou não bom e coisas do gênero, mas só sei que Passageiros é detestável. Desperdício da Hathaway, desperdício de atenção, desperdício de tempo!

No longa, Hathaway é uma terapeuta que começa a investigar um estranho acidente de avião, testemunhado por seus pacientes. Ela acaba por se envolver amorosamente com Eric Clark, que também estava no acidente. O roteiro não sustenta o mistério do tal acidente por muito tempo, e isso vai aos poucos entediando o espectador. A história é descentrada e incompreensivelmente picotada. O final destrói tudo. Passageiros não é drama, não é terror, não é suspense, não é nada. É uma baita de uma porcaria. Passageiros leva a direção de Rodrigo Garcia, filho do escritor Gabriel García Marquez. É surpreendentemente o pior filme dele, que tem no currículo trabalhos esmerados como o recente Albert Nobbs e Questão de Vida. Enfim, Passageiros é um filme horrível de ruim. Eca!

Passageiros (Passengers)
dir. Rodrigo Garcia - 

Nenhum comentário:

Postar um comentário